A Gestora Local do Programa Brasil Alfabetizado Raimundinha Melo participou do II Seminário de Avaliação do Programa Brasil Alfabetizado que aconteceu em Brasília nos dias 8 e 9 de novembro. O evento teve como principal objetivo avaliar o Programa enquanto política pública de educação e sugerir ações para as próximas etapas.

PA250048

Entenda porque o Programa Brasil Alfabetizado de Castelo do Piauí teve tanto destaque em 2010 e fez do programa uma referência

Em Castelo do Piauí o Programa Brasil Alfabetizado contribuiu significativamente para a universalização do Ensino Fundamental por meio do apoio a ações de alfabetização de jovens com 15 anos ou mais e idosos.

A execução do PBA ampliou as oportunidades graças à disponibilização de recursos financeiros, materiais humanos capazes de cobrir o atendimento as demandas e ainda garantiu a qualidade da aprendizagem e do ensino para os alfabetizandos que não estudaram ou não obtiveram sucesso na idade ideal.

A Alfabetização via PBA em Castelo do Piauí aconteceu por meio da articulação de políticas públicas locais, parcerias complementares financeiras e uma sistemática de acompanhamento que asseguram o sucesso das ações do Programa.

Segundo o IBGE, no ano de 2000, (39%) da população do município com mais de 15 anos eram analfabetos. Deste total, cerca de 50% destas pessoas ainda analfabetas estão sendo atendidas em Programas de Alfabetização para jovens, adultos e idosos. Em três etapas foram 2.819 pessoas atendidas só pela Rede Municipal de Educação, afirma Raimundinha Melo, gestora do PBA da rede municipal.

O transporte para a realização das visitas dos coordenadores é garantido por meio dos investimentos municipais. As visitas ocorrem no mínimo uma vez em cada mês nas turmas da zona rural e a cada quinze dias nas turmas da zona urbana.

A erradicação ao analfabetismo em Castelo Piauí tem duas linhas de combate: à preventiva e a de alfabetização de jovens, adultos e idosos com a inclusão dos mesmos em salas da EJA.

Mais Avanços

A parceria da SEMEC com o Instituto Ayrton Senna trouxe resultados muito importantes na linha preventiva. Além de ampliar consideravelmente a taxa de aprovação de 69,7% em 2005 para 90% em 2010 os números mostram grandes avanços na redução de distorção da idade-série e abandono escolar.

A distorção de idade-série sempre foi um grande problema da Rede Educacional de Castelo do Piauí. Segundo o Ministério da Educação, a taxa de distorção em 2004 chegou a 62% do total de alunos matriculados. Com a implantação do Programa Acelera Brasil e Se Liga em 2006 a redução foi acontecendo ano a ano. De acordo com dados do UNICEF, o município possui apenas 20,3% de alunos com a idade defasada com perspectiva de alcançar a meta 5% até 2012.

Outro grande avanço foi à redução do abandono. Em 2005 era 7,9 para apenas 0,8% em 2010.

O bom desempenho dos alunos também ficou evidente com o resultado do IDEB. Em 2005 o IDEB da Rede Municipal anos iniciais foi de apenas 2,9, em 2007 subiu para 4,1 e em 2009 para 5,0. Nos anos finais também houve grande avanço: 3,9 em 2005 para 4,7 em 2007 e 4,5 em 2009.

Ainda de acordo com Raimundinha, o trabalho acontece com a colaboração de todos. Entre outras funções os coordenadores acompanham o trabalho do alfabetizador, através das reuniões pedagógicas de formação continuada e de visitas quinzenais às turmas de alfabetização.

O Projeto Olhar Brasil, cujo objetivo é contribuir para a melhoria do processo ensino/aprendizagem, a partir da prevenção, identificação e correção de problemas  visuais em alfabetizandos do PBA atendeu a 806 alunos do Programa durante as etapas de 2008 e 2009. A eficácia deste Projeto só foi possível graças à parceria das Secretarias Estadual de Saúde, Secretaria Municipal de Saúde e 5ª Gerência Regional de Educação que em articulação forneceram todos os subsídios para as consultas e distribuição dos óculos.

Projetos Municipais e Ações Complementares que fizeram do PBA de Castelo do Piauí uma referência

Prêmio Mestres de Sucesso – o projeto tem como objetivo identificar e divulgar o mérito do trabalhador da educação, representado por desempenho, eficiência no trabalho, dedicação, assiduidade, pontualidade e responsabilidade com os indicadores de sucesso. O Projeto premia os melhores alfabetizadores do PBA;

Certificação dos Alunos – ao final de cada etapa é realizada uma festa para apresentação dos resultados do Programa, abertura formal da nova etapa e certificação de alunos alfabetizados;

Reconhecimento dos Parceiros – nesta mesma festa é concedido aos parceiros, coordenadores e alfabetizadores mais dedicados o Reconhecimento: “Eu sou parceiro no combate ao analfabetismo no meu município”;

Valorização da Cultura Local – bimestralmente são realizadas atividades culturais de alusão a datas comemorativas: Dia da Mulher, Páscoa, Dia das Mães, Festas Juninas etc.;

Projeto: Alfabetização e Cidadania e o Direito da Pessoa Idosa -  o objetivo deste projeto é promover a inclusão social de jovens, adultos e idosos matriculados na EJA e no PBA por meio de ações de educação, saúde, assistência social que assegurem à valorização, geração de renda e garantia de direitos.

O Programa Brasil Alfabetizado tem garantido a permanência e o sucesso dos alfabetizandos, colaborando significativamente para a redução e erradicação do analfabetismo no município. Os parceiros e ações complementares além de garantir a alfabetização têm propiciado aos alunos à formação para o mercado de trabalho e a inclusão a bens e serviços públicos de saúde, educação, lazer e assistência social.

“Erradicar o analfabetismo no município é o sonho de todos nós. Trabalhamos com responsabilidade e simplicidade, o respeito aos alfabetizandos e acima de tudo compartilhamos com eles a alergia da vitória da alfabetização e da inclusão social.”

Veja mais fotos do evento em Brasília

PA250030

Raimundinha Melo ao lado do Coordenador Geral do Programa Brasil Alfabetizado, Mauro Silva

PA250032

Raimundinha Melo, Gestora Local do PBA e Coordenadora de Projetos da SEMEC de Castelo do Piauí

Fonte: SEMEC | Fotos: Divulgação | Edição: Basílio Soares